terça-feira, março 12, 2013

DESAFIO AOS CATARINENSES CORAJOSOS... VAMOS FUNDAR O TRIBUNAL POPULAR DO JUDICIÁRIO CATARINENSE....

A Sede pode ser em Lages....  Teríamos duas Ações Imediatas: Desengavetar os inúmeros  processos pelos quais deveria estar respondendo judicialmente o Pior Governador Catarinense de Todas as Épocas... e fazer vir a luz da verdade... os diversos processos que o Procurador Geral (aquele que responde por inúmeras irregularidades, inclusive sobre crime ambiental contra o Aquifero Guarani)  engavetou... impunemente... durante 15 anos... principalmente aqueles que livraram da Justiça os que cometerem crimes contra os Direitos Humanos...

Tribunal Popular do Judiciário - Bahia




xxxxx


Violações aos direitos cometidas pelo Judiciário serão denunciadas no Tribunal Popular do Judiciário Bahia.
O núcleo baiano da Associação Juízes para a Democracia (AJD) vai estar presente a apoia esta iniciativa.
 
Denúncias de abusos cometidos pelo ou com auxílio do Sistema de Justiça, em especial pelo Poder Judiciário, estarão em pauta no dia 31 de julho no Tribunal Popular do Judiciário. O evento – que acontecerá no Teatro da Universidade do Estado da Bahia – UNEB (Campus I da UNEB, rua Silveira Martins, N° 2555, Cabula, ao lado do Hiper Bompreço), das 8h às 17h, – reunirá representações de todo o Estado que farão as narrativas de violações aos direitos cometidas pelo judiciário baiano. Deste encontro sairão encaminhamentos e propostas da sociedade civil organizada sobre o enfrentamento aos atos arbitrários cometidos pelo sistema de justiça, em destaque para o Poder Judiciário.
O Tribunal Popular do Judiciário integra linha de atuação do Projeto de Articulação em Políticas Públicas no Estado da Bahia e tem como princípio o controle social do Judiciário. Após percorrer os mais variados municípios do estado da Bahia em etapas regionais, realiza-se agora a fase estadual, com denúncias recolhidas nos encontros locais.
O Tribunal Popular do Judiciário  nasceu no Maranhão, em um contexto dominado pelas oligarquias deste estado, em especial pela família Sarney, devido às constantes ondas de desrespeito e irregularidades dentro do poder Executivo, Legislativo e Judiciário  maranhenses. Desrespeito e irregularidades que atingem e prejudicam em cheio a população empobrecida e excluída\marginalizada (negros, populações tradicionais, mulheres, idosos, crianças, sem terra, sem teto, dentre outros). Percebeu-se que diante do processo de luta e reivindicações o “poder” que mais conseguia barrar os encaminhamentos e conquistas populares era o Judiciário, isto, através de manobras e recursos totalmente parciais e tendenciosos em favor das elites.É uma iniciativa da sociedade civil organizada, em parceria com a população em geral, visando a fiscalização, investigação e denúncia dos casos de violação que envolvam o Sistema de Justiça e atinja direta ou indiretamente os direitos humanos, econômicos, culturais, sociais, políticos da população, especialmente dos que se encontram em estado de marginalização e exclusão dos espaços de decisão e efetivação de direitos.
O objetivo do Tribunal Popular do Judiciário é questionar o sistema de justiça; reunir casos de abuso e desrespeito que envolvam o sistema de justiça; expor os casos mais emblemáticos, denunciando-os através da imprensa, do Ministério Público, das organizações defensoras dos Direitos Humanos,  em escala nacional e internacional.
 

2 comentários:

  1. ANA ECHEVENGUÁ
    18:45 (3 horas atrás)

    para mim
    ANA ECHEVENGUÁ deixou um novo comentário sobre a sua postagem "DESAFIO AOS CATARINENSES CORAJOSOS... VAMOS FUNDAR...":

    Idéia genial, grande Rui. Vamos buscar adeptos à causa!!

    Postado por ANA ECHEVENGUÁ no blog Lages, na Real em 12 de março de 2013 18:45

    ResponderExcluir
  2. Anônimo

    10:42 (3 horas atrás)

    para mim
    Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "DESAFIO AOS CATARINENSES CORAJOSOS... VAMOS FUNDAR...":

    Bem aventurados os que tem sêde e fome de Justiça, pois eles serão saciados...

    Postado por Anônimo no blog Lages, na Real em 15 de março de 2013 10:42

    ResponderExcluir